Atualização do Consenso de Sarcopenia EWGSOP2

Com o aumento da qualidade de vida, aumenta-se também a expectativa de vida da população, e com isso o número de idosos cresce. Com uma maior parcela de indivíduos nessa faixa etária, amplia-se a prevalência da sarcopenia e suas possíveis complicações, muitas delas limitando o paciente e expondo o mesmo a maiores morbidades.

O consenso europeu de sarcopenia define essa entidade como um distúrbio generalizado e progressivo no músculo esquelético, associado ao aumento da probabilidade de fraturas, quedas, incapacidade física e mortalidade. Muito mais do que uma alteração na massa muscular, na sarcopenia é possivel evidenciar mudanças na qualidade do músculo, que se justifica por modificações na micro e macro arquitetura do mesmo.

Para diagnosticar essa patologia é preciso aferir:

1) força muscular, por exemplo, através do exame da força de preenção, método esse fácil e barato;

2) quantidade muscular, por exemplo, através da Ressonância Nucelar Magnética ou ainda da Densitometria de Corpo Inteiro;

3) performance física, conceito multidimensional que envolve não só a qualidade muscular, como também a integridade de vias nervosas centrais e preriféricas.

Como opção terapêutica, é possivel lançar mão da suplementação alimentar quando for diagnosticado déficit nutricional e até mesmo a prática de atividade física personalizada para o paciente em questão. O SIEEX deseja trocar conhecimento e experiência de especialistas da área sobre essa questão tão comum no consultório de muitos profissionais de saúde.

Bibliografia consultada:

  1. Cruz-Jentoft, AJ, Bahat, G, Bauer J, Boirie, Y, Bruyère, O, Cederholm, T, et al. Sarcopenia: revised European consensus on definition and diagnosis.Age and Ageing. 2019; 48(1): 16-31. acessado em: 23/01/2019)